Mercado paralelo?!


Foi a maior apreensão de sempre realizada em Portugal no que diz respeito a drives de gravação. Numa operação realizada ontem à tarde a três residências na zona de Carnide foram confiscadas pelas autoridades 12.349 cópias ilegais (9.212 DVD-R gravados e 3.137 CD-R gravados), 10 torres de gravação e um total de 95 drives. Os criminosos usavam a residência para proceder à falsificação dos produtos, embalavam-nos e vendiam-nos no mesmo local, pelo que as buscas permitiram também detectar 3.000 CD-R virgens, 7.245 caixas e envelopes de acondicionamento onde as cópias eram guardadas e embaladas, impressoras e outro material de impressão. (…)

A Associação Fonográfica Portuguesa revela que a produção de material pirata tinha lugar quase 24 horas por dia e que os principais clientes eram feirantes que operavam nos distritos de Lisboa, Santarém e Setúbal.

Antes desta, a maior apreensão de drives realizada em Portugal tinha ocorrido em Fevereiro de 2006 e apreendido 64 drives e cerca de 40 mil DVDs.

Os autores deste tipo de crime estão sujeitos a uma pena de prisão que pode ir até 3 anos. Ao longo do último ano autoridades e associação do sector têm juntado esforços no combate à pirataria trazendo para Portugal uma acção mais dura de fiscalização do negócio da cópia ilegal.

in Tek

É caso para perguntar, com estes números, qual é mesmo o mercado paralelo?!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s