Vaticano contra a Amnistia Internacional

14 06 2007

Um cardeal do Vaticano disse nesta quarta-feira que os católicos romanos deveriam deixar de doar dinheiro à Amnistia Internacional (AI) depois de esta organização ter adoptado uma nova política que permite às mulheres ter acesso a procedimentos de aborto, informa a agência Reuters.

As críticas foram lançadas pelo cardeal Renato Marino, responsável pelo departamento de justiça e paz do Vaticano, criticou a política, considerando que tal posição representa uma traição às metas da Amnistia, que promove os direitos humanos.

«A consequência inevitável desta decisão, de acordo com o cardeal, será a suspensão de qualquer financiamento à Amnistia por parte de organizações católicas e católicos individuais», informou um pronunciamento do gabinete de Martino.

Entretanto, a AI já informou nunca ter recebido dinheiro do Vaticano ou de outras organizações católicas romanas oficiais. «A Igreja Católica, por intermédio de um relato mal representado da nossa posição sobre aspectos selectivos do aborto, está a colocar em perigo o trabalho com os direitos humanos», disse Kate Gilmore, subsecretária-geral da Amnistia Internacional.

Aproveitou para explicar que a organização não promove o aborto como um direito universal, mas apenas tenta alertar que as mulheres têm o direito de escolher o aborto quando os seus direitos humanos forem violados, especialmente em caso de violação e incesto.

«Não comandamos uma teocracia. Temos de lidar com a sobrevivente de violação no Darfur que, por ter sido deixada com uma gravidez como resultado do inimigo, é ainda mais ostracizada pela sua comunidade», exemplificou, deixando um aviso: «Se o cardeal fosse ao Darfur e se colocasse entre essas vítimas e as pedras atiradas contra elas, aí poderia dizer se a Amnistia tem ou não integridade para se manter firme na luta pelos direitos humanos».

in Portugal Diário

Mais uma vez a Igreja demonstra estar longe do mundo em que vivemos. Mas, pelo menos, mostra coerência nas suas atitudes.

Claro que não se pode “promover o aborto como um direito universal”, mas há situações, como explica a AI, em que o direito da mulher em escolher essa opção, tem de ser respeitado.

O problema da Igreja (e dos seus cardeais) é viver desfasada da realidade. Se deixasse os seus “palácios” dourados e as suas vestes opulentas, veria que a sociedade exige uma posição bem diferente perante os mais diversos assuntos.

E se a Igreja, à primeira “divergência” com uma organização ou indivíduo, lhe tira o seu total “apoio”, que postura devia tomar a grande maioria das pessoas (muitos cristãos, também), que discordam de tantas das suas atitudes e ideias?!


Technorati : , , , , ,
Del.icio.us : , , , , ,
Ice Rocket : , , , , ,

Anúncios

Acções

Information

3 responses

17 06 2007
fly

Lê este artigo que saiu na revista “Sabado” nº153:

http://www.realidadeoculta.com/vaticano2.html

abraço

18 06 2007
G

Fly:
Obrigado pela dica. Já tinha lido na altura em que saiu e mais uma vez fiquei com a impressão (certeza?) de que a Igreja precisa de uma verdadeira reforma (revolução?).

Volta sempre!
Abraço!

19 10 2007
Geraldo Matos

Fácil é dizer “a Igreja vive defasada com a realidade”. Não há melhor frase para demonstrar que os fins justificam os meios. Sofrimentos, angústias e tristezas mil a humanidade é pródiga em produzir. É indubitável que, no transcorrer da hisitória, a Igreja foi a entidade que mais contribuiu para a formação de uma sociedade melhor. Inclusive vossa Europa tudo deve a essa entidade que a gerou. Pois bem, a Igreja faz suas obras, emite seus juízos e opiniões, baseada naquilo que julga ser a real solução para os problemas. Você mesmo disse que ela é coerente. Entretanto, não apoia entidades que têm como pedra fundamental o humanismo hipócrita de uma Europa que nega sua própria essência Cristã, Católica. Os casuísmos são perigosos e no caso citado do Darfur, surge uma oportunidade para a melhora qualitativa de todo um povo e não para a instituição do assassinato. Foi regada com o sangue de multidões de mártires que a Europa da AI se formou e hoje é o que é, não será com a instituição casuista de um crime contra Deus e contra o homem que o Darfur se desenvolverá. Isso a Igreja vê. Mas quem quer ver?
Saudações em Cristo Jesus e Maria Santíssima.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: