Rua Sésamo imprópria para menores

30 11 2007

As duas primeiras temporadas da Rua Sésamo acabam de ser editadas em DVD nos Estados Unidos com dois avisos: «O conteúdo é para maiores e poderá não ser apropriado para crianças do pré-escolar», noticia o El País.

No primeiro episódio da Rua Sésamo, emitido em Novembro de 1969, uma menina fazia-se amiga de um desconhecido que a convidava para ir a sua casa comer leite com bolachas.

Também há uma cena em que Egas pede a Becas que lhe passe o sabonete enquanto está no banho. Há algum tempo surgiu a polémica sobre se os dois bonecos formariam um par homossexual.

Telespectadores hipersensíveis

«Os telespectadores de hoje tornaram-se hipersensíveis. Os guionistas de Rua Sésamo não tinham segundas intenções. As suas decisões eram tomadas de forma inocente, e só depois foram questionadas quando entraram em jogo as guerras culturais. A sua única condição era fugir da violência e não escrever guiões que pusessem em perigo físico as crianças ao imitá-los», explicou à rádio NPR Daniel Anderson, que aconselhava nos anos 70 a equipa da Rua Sésamo e que hoje trabalha como psicólogo na Universidade de Massachusetts.

Mas segundo a produtora executiva do programa, Carol-Lynn Parente, «há modelos de comportamento de então que hoje não são aceitáveis», declarou ao The New York Times. «Por exemplo, aquele em que o Monstro das Bolachas fumou um cachimbo e depois o comeu».

A versão actualizada do Monstro das Bolachas devora cenouras em vez de bolachas desde 2005.

Recorde-se que há alguns anos acusou-se o personagem Tinky Winky, dos Teletubbies, outro popular espaço infantil, de «promover» a homossexualidade por andar com uma bolsa cor-de-rosa e por ter um triângulo invertido na cabeça.

in Portugal Diário

sesamestreet-group1

Os Estados Unidos, a terra da liberdade e das liberdades, continua a surpreender.

Então editam a série e colocam-lhe aqueles avisos! Quem é que eles esperam que vá comprar a série da bonecada?! Os adultos, não? Para recordar…

Ele há coisas…

E já agora: se o Monstro das Bolachas começou a devorar cenouras, não deveria mudar de nome? ???:


Digg it! Compartilhar no Del.icio.us Adicionar ao Live Favorites Compartilhar no Google Bookmarks Compartilhar no Reddit Compartilhar no Ma.gnolia Compartilhar no Facebook Compartilhar no Technorati Compartilhar no Yahoo MyWeb Stumble It! Compartilhar no rec 6

Technorati : , , , , ,
Del.icio.us : , , , , ,
Ice Rocket : , , , , ,





Quarto com vista para o fim do mundo

29 11 2007

Neste momento, a comunidade científica está dividida: certos cientistas acreditam que há pessoas a menos na Terra; outros acreditam que há pessoas a mais. Os que defendem que há pessoas a menos, como é óbvio, nunca tentaram atravessar a ponte 25 de Abril numa segunda-feira de manhã. Há que fazer mais pesquisa, companheiros. Por outro lado, a discussão terminaria com proveito para toda a gente se os cientistas que consideram que o planeta tem gente a mais morressem todos: contribuíam para a diminuição da densidade populacional e deixavam de chatear quem não se importa de viver apertado.

Confesso que não me interesso especialmente por questões demográficas, mas tenho um problema: sempre que se publica um desses estudos segundo os quais o mundo tem excesso de população, eu sinto que sou uma das pessoas que estão cá a mais. Maldito sentimento de culpa.

Uma coisa é certa: todos os estudos que apontam para o cenário catastrófico de um mundo superlotado parecem esquecer um facto a meu ver importante: boa parte das pessoas que estão vivas são idiotas. E essa idiotia acaba por lhes reduzir bastante a esperança de vida. Repare o leitor no seguinte: neste momento, cerca de três dezenas de membros de uma seita russa estão barricados numa caverna, a sudeste de Moscovo. Todos eles estão convencidos de que o mundo vai acabar em Maio de 2008 (o que me causa algum transtorno, porque já tenho coisas combinadas para Junho), e ameaçam cometer suicídio colectivo. Enquanto houver gente desta, o planeta nunca há-de rebentar pelas costuras.

Atenção: não digo que esta gente seja idiota por acreditar que o mundo vai acabar daqui a seis meses. Cada um acredita no que quer e ninguém tem nada com isso. Eu também acredito que ainda hei-de casar com a Scarlett Johansson e não há quem me convença do contrário – nem mesmo a Scarlett, que bem podia parar de fazer queixa de mim à polícia. O que eu reputo de idiota é a opção pelo suicídio a escassos meses do fim do mundo. Como é possível ponderar a hipótese de perder o fim do mundo, que deve ser um espectáculo tão bonito? Se me disserem que o mundo acaba daqui a cinco minutos, eu vou fazer pipocas e sento-me à janela. Suicidar-me, além de estúpido, é estar a trabalhar para o boneco. É verdade que, por mais vistoso que seja o fim do mundo, no dia seguinte não poderemos comentá-lo com ninguém. Mas não deixa de ser reconfortante saber que também não há qualquer hipótese de lermos um daqueles comentários irritantes dos críticos a quem tudo sabe a pouco: «As bolas de fogo não eram assim tão grandes. Nem chamuscado fiquei», ou «O apocalipse podia ter sido mais apocalíptico, especialmente no final.» Não, meus amigos. Eu não perco o fim do mundo por nada deste mundo.

Ricardo Araújo Pereira in Boca do Inferno/Visão

constantine


Digg it! Compartilhar no Del.icio.us Adicionar ao Live Favorites Compartilhar no Google Bookmarks Compartilhar no Reddit Compartilhar no Ma.gnolia Compartilhar no Facebook Compartilhar no Technorati Compartilhar no Yahoo MyWeb Stumble It! Compartilhar no rec 6

Technorati : , , ,
Del.icio.us : , , ,
Ice Rocket : , , ,
Flickr : , , ,
Zooomr : , , ,
Buzznet : , , ,





O melhor país do mundo para se viver

28 11 2007

A Islândia superou a Noruega como o melhor país do mundo para se viver enquanto a Serra Leoa é o pior, divulgou hoje a tabela anual do Índice de Desenvolvimento Humano (INH) das Nações Unidas.

As melhores posições da tabela estão, como de costume, destinadas aos países ricos – a Islândia, a Noruega, a Austrália, o Canadá e a Irlanda. Os Estados Unidos caíram do oitavo para o décimo-segundo lugar.

No extremo oposto da tabela, encontram-se os 22 países da África subsaariana, estando a Serra Leoa em último lugar. Em dez desses países, duas em cada cinco crianças não vão chegar aos 40. O relatório do ano passado afirmou que a SIDA tem tido um «efeito catastrófico» sobre a expectativa de vida na região.

O índice lista 175 países-membros da ONU – contando com Hong Kong e os territórios palestinianos – mas excluiu 17 países, entre os quais o Iraque, o Afeganistão e a Somália, porque não há dados suficientes para se proceder à avaliação.

A Noruega ocupou a primeira posição da lista durante seis anos, mas foi superada pela Islândia em 2007 devido às novas estimativas sobre a expectativa de vida e dos dados actualizados sobre o Produto Interno Bruto (PIB).

O relatório afirmou que a maior parte dos países aumentou o seu índice de desenvolvimento humanonos últimos 30 anos. Mas, em cerca de 16, o nível é menor do que em 1990. E em três – na República Democrática do Congo, na Zâmbia e no Zimbabué -menor do que em 1975.

in Sol

icelandblue lagoon icelandiceland-791945

Islândia?! Só me parece um bocadito frio, mas de resto… gosto!


Digg it! Compartilhar no Del.icio.us Adicionar ao Live Favorites Compartilhar no Google Bookmarks Compartilhar no Reddit Compartilhar no Ma.gnolia Compartilhar no Facebook Compartilhar no Technorati Compartilhar no Yahoo MyWeb Stumble It! Compartilhar no rec 6





Fantasmas fazem sucesso no YouTube

26 11 2007

No YouTube há vídeos para todos os gostos sobre actividades paranormais e alguns já foram vistos por mais de três milhões de pessoas. O fantasma da serra de Sintra é um dos casos de sucesso.

Espíritos, anjos, sombras fantasmagóricas, criaturas de outro mundo. Os vídeos sobre actividades paranormais são verdadeiros casos de sucesso no YouTube. Com uma enorme procura, há filmes para todos os gostos. Por cá, continua a ser a história do fantasma da estrada de Sintra o líder de audiências.

Há cerca de duas semanas uma mancha azul captada pelas câmaras de vigilância de uma bomba de gasolina, levou milhares de curiosos a rumarem a Ohio em busca de alguma presença menos comum (ver video abaixo). Os vídeos das reportagens feitas por equipas de televisão no local foram postos no YouTube e a história corre agora o mundo. Seja um fantasma ou não, em menos de quinze dias a curiosidade levou mais de 44 mil internautas a clicarem no trabalho da jornalista da CNN.

Este é apenas um dos milhares de vídeos sobre histórias assustadoras que podemos encontrar no site de partilha de vídeos. Uma rápida pesquisa com as palavras "fantasma" e "paranormal" transportam-nos para um universo de mais de seis mil vídeos, muitos deles caseiros.

Com mais de três milhões de visitas, uma colectânea de "fotografias de fantasmas" é um dos vídeos sobre o paranormal mais vistos de sempre. O slide show demora quase quatro minutos e as imagens, muitas delas a preto e branco, são para todos os gostos: manchas com forma humana, criaturas com longos mantos e capuzes, campas e igrejas com espíritos desfocados.

"Blair Witch à portuguesa"

Em Portugal o vídeo paranormal que mais sucesso faz no YouTube é a já famosa história do fantasma da serra de Sintra. Como seria de esperar, tudo acontece à noite, quando três amigos vão dar uma volta de carro pela serra. Enquanto trocam piadas, um dos jovens vai filmando todo o percurso. No meio da serra surge uma misteriosa rapariga perdida, vestida de branco. O grupo dá-lhe boleia mas viagem dura apenas até à curva seguinte onde a rapariga revela: "Foi ali que morri".

O vídeo já foi visto por mais de 300 mil internautas, que se dividem nas opiniões. Enquanto uns acham a história "assustadora", outros defendem que "não passa de um mito urbano" ou um género de "Blair Witch à portuguesa". A verdade é que o filme é uma curta-metragem intitulada "A curva", assinada pelo realizador David Rebordão.

As brincadeiras com histórias fantasmagóricas também já fazem sucesso. "A gravação que vão ver é genuína, captada pelas câmaras de vigilância do London Dungeon". Trinta e quatro segundos de espera com o olhar focado no ecrã à espera do pior… que acaba mesmo por aparecer. A cara de um homem de ar sinistro salta para o meio do ecrã, com um grito assustador seguido de uma gargalhada. A partida já apanhou desprevenidos mais de três milhões e meio de utilizadores do YouTube.

1e8d44c61114e72defc111cc1cd2ab111

(clicar nas imagens para ver os videos)

in Expresso Online

Spooooky!!

Technorati : , , ,
Del.icio.us : , , ,
Ice Rocket : , , ,





O patrão que não conseguiu viver com o salário do empregado

24 11 2007

A história veio nos jornais europeus e a ’Veja’ entrevistou o protagonista. O empresário italiano Enzo Rossi, dono de La Campofilone, que produz pastas e massas, resolveu passar um mês a viver com os mil euros que paga aos seus operários, dando a mesma quantia à sua mulher, que também trabalha na empresa.

Apesar de se terem restringido ao essencial, o dinheiro acabou a 20 – e Rossi percebeu que, "se o dinheiro acabava para mim, também não dava para eles". Vai daí, deu um aumento geral de €200 aos trabalhadores.

O curioso é que o empresário diz que não quer dar lições de ética a ninguém, recusa qualquer ideia de que seja marxista e, com uma frontalidade desarmante, frisa que o aumento que concedeu é a prova de que é "um grandessíssimo egoísta". E porquê? Porque, como explica liminarmente, se o salário é insuficiente, os funcionários vivem sob stresse psicológico, com a angústia de saber se o dinheiro chega ou não ao fim do mês. Isso leva-os a ficar instáveis do ponto de vista emocional "e, consequentemente, trabalharão mal". Ora, como acrescenta, "quero que eles estejam bem, para aumentar os meus lucros". E diz mesmo que a massa que fabrica, um tipo de macarrão finíssimo muito tradicional em Itália, fica melhor e vende mais se o funcionário trabalha feliz.

Bom, mas já teve retorno deste aumento dos custos salariais? Não, mas Rossi diz que isso não vai demorar a acontecer. Nem que seja por os seus funcionários, com mais dinheiro, comprarem no Natal e Ano Novo mais do macarrão que ele fabrica.

Histórias destas valem mais do que muitos livros de gestão. E são tão verdadeiras em Itália como em Portugal – embora, por cá, não se conheça nenhum émulo do sr. Enzo Rossi. (…)

por Nicolau Santos in Cem Por Cento

mauro3

Como a Itália parece tão "loooooonge"!

Technorati : , , ,
Del.icio.us : , , ,
Ice Rocket : , , ,





E agora a quem é que Portugal vai ganhar nos penalties?!

22 11 2007

A Inglaterra não se qualificou para o Euro 2008?!

E agora a quem é que Portugal vai ganhar nos penalties?!

Talvez à Grécia…

vassell-goal405

Technorati : , , , ,
Del.icio.us : , , , ,
Ice Rocket : , , , ,
Flickr : , , , ,
Zooomr : , , , ,
Buzznet : , , , ,





Crianças online planeavam suicídio colectivo

21 11 2007

Uma página de uma comunidade alojada no Orkut deu a inspiração a um grupo de jovens de Vale de Cambra que estaria a planear um suicídio colectivo. A notícia foi hoje publicada pelo Diário de Notícias que adianta que um dos jovens já teria praticado a automutilação instigado pela mesma comunidade social online.

Os jovens têm entre 12 e 14 anos e residem em Vale de Cambra. A denúncia da intenção de suicídio colectivo surgiu de um desabafo de um dos menores que em conversa com uma amiga terá revelado a intenção. Esta amiga terá depois falado com a mãe que alertou a PSP de Aveiro.

A investigação policial levou à identificação da página da comunidade onde os jovens se teriam inspirado, tendo sido alertado o Ministério Público e também a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens em Risco, que recebeu a informação ontem ao final da tarde e terá reunido de emergência na sequência deste alerta.

A maioria dos jovens envolvidos nesta comunidade frequentava a Escola Secundária de Vale de Cambra mas foram identificados outros membros portugueses e também brasileiros, de onde provém a maioria dos utilizadores do Orkut, uma rede social detida pela Google.

Várias entidades têm vindo a lançar alertas para o crescimento dos conteúdos violentos na Internet e também o apelo ao suicídio, uma prática que foi muito denunciada no Japão nos últimos anos depois de alguns jovens se terem suicidado, planeando e transmitindo o acto pela Internet.

in Tek.sapo.pt

Já só nos faltava mesmo isto para estarmos presentes em todas as listas negras existentes…

E os pais destes “meninos”… Onde é que andam?!

Cada vez mais, as nossas crianças estão “encarceradas” no seu mundo, por culpa própria, mas principalmente por responsabilidade dos seus progenitores.

Sem comentários!


Technorati : , , , ,
Del.icio.us : , , , ,
Ice Rocket : , , , ,
Flickr : , , , ,
Zooomr : , , , ,
Buzznet : , , , ,








%d bloggers like this: