Os ‘remédios’ dos nossos avós

18 02 2009

Os medicamentos de há 100 a 120 anos atrás eram um bocadinho diferentes dos actuais. O efeito podia ser semelhante (!), mas a composição era… perturbadora!

Heroína da Bayer:

Um frasco de heroína da Bayer. Entre 1890 a 1910 a heroína era divulgada como um substituto não viciante da morfina e um remédio contra tosse para crianças.

Vinho de coca:

O vinho de coca da Metcalf era um de uma grande quantidade de vinhos que continham coca disponíveis no mercado. Todos afirmavam que tinham efeitos medicinais, mas indubitavelmente eram consumidos pelo seu valor “recreador” também.

Vinho Mariani:

O Vinho Mariani (1865) era o principal vinho de coca do seu tempo. O Papa Leão XIII carregava um frasco de Vinho Mariani consigo e premiou o seu criador, Ângelo Mariani, com uma medalha de ouro.

Maltine:

Este vinho de coca foi fabricado pela Maltine Manufacturing Company de Nova Iorque. A dosagem indicada dizia: “Uma taça cheia junto com, ou imediatamente após, as refeições. Crianças em proporção.”

Peso de papel:

Um peso de papel promocional da C.F. Boehringer & Soehne (Mannheim, Alemanha), “os maiores fabricantes do mundo de quinino e cocaína”. Este fabricante tinha orgulho em sua posição de líder no mercado de cocaína.

Glyco-Heroína:

Propaganda de heroína da Martin H. Smith Company, de Nova York. A heroína era amplamente usada não apenas como analgésico, mas também como remédio contra a asma, tosse e pneumonia. Misturar heroína com glicerina (e frequentemente açúcar e temperos) tornava o opiáceo amargo mais agradável para a ingestão oral.

Ópio para a asma:

Estes National Vaporizer Vapor-OL eram indicados “para asma e outras afecções espasmódicas”. O líquido volátil era colocado numa panela e aquecido por um lampião de querosene.

Tablete de cocaína (1900):

Estas tabletes de cocaína eram “indispensáveis para os cantores, professores e oradores”. Eles também aquietavam a dor de garganta e davam um efeito “animador” para que estes profissionais atingissem o máximo de sua performance.

“Drops de Cocaína para Dor de Dente – Cura instantânea”:

Os dropes de cocaína para dor de dente (1885) eram populares para crianças. Não apenas acabava com a dor, mas também melhorava o “humor” dos usuários.

Ópio para bebés recém-nascidos:

Acha que a nossa vida moderna é confortável? Antigamente para aquietar bebés recém-nascidos não era necessário um grande esforço dos pais, mas sim, ópio. Este frasco de paregórico (sedativo) da Stickney and Poor era uma mistura de ópio e de álcool que era distribuída do mesmo modo que os temperos pelos quais a empresa era conhecida. “Dose – [Para crianças com] cinco dias, 3 gotas. Duas semanas, 8 gotas. Cinco anos, 25 gotas. Adultos, uma colher cheia.”

O produto era muito potente, e continha 46% de álcool.

recebido por email

Aqui está a explicação para a durabilidade e resistência dos nosso avós!!😯

E, se por um acaso, forem apanhados com algum produto… duvidoso, digam que foi a avó que deu! Quem sabe…:mrgreen:


Technorati : , , , ,
Del.icio.us : , , , ,
Ice Rocket : , , , ,
Flickr : , , , ,
Buzznet : , , , ,

Adicionar artigo ao blinklist Adicionar ao Ueba Adicionar aos Favoritos BlogBlogs Adicionar artigo ao Del.icio.us Adicionar artigo ao Digg! Adicionar artigo ao DiHitt Adicionar artigo ao Eu Curti Adicionar artigo ao Furl Adicionar esta noticia no Linkk Envie este link para linkTo! Adicionar artigo ao Rec6 Adicionar artigo ao reddit Adicionar artigo ao Slashdot Adicionar site ao Stumble Adicionar aos Favoritos Technorati Adicionar ao Ueba Sabedorize esta notícia no WebSapiens Adicionar artigo ao Windows Live Adicionar ao Yahoo!

Quer ter estes botões no seu site? Acesse


Ações

Information

7 responses

18 02 2009
Jorge Alberto

Até o meio do Estado Novo, mais ou menos, a cocaína e demais entorpecentes eram vendidos em farmácias. Tanto que a cocaína era popularmente conhecida por Fubá mimoso.

Abraços.

18 02 2009
Rui Peres

Hehehe, o Jorge tem cara de quem sabe do que fala. Só mesmo tu G, para arranjares estes “tesourinhos”. ^^

19 02 2009
Marreta

… E ainda cá falta a Coca-Cola, que nos primórdios também tinha coca!
É caso para dizer que na altura os problemas de toxicodependência eram muito superiores aos actuais!…
Excelente post, gostei muito.

Saudações do Marreta.

19 02 2009
Rui Peres

Marreta que piada fácil.😛

21 02 2009
paranoiasnfm

Como se costuma dizer: “Velhos são os trapos”…

Mas digo uma coisa… agora percebo, quando dizem que “Nunca fui a um médico!” (no caso daqueles centários que aparecem nas TVs…
Pois claro, com BOMBAS em casa, não há melhor médico do que estes frascos.😛

Amanhã leio este post com atenção.. só vi as imagens😉

21 02 2009
Anna

Nossa amei o post,bem informativo mesmo. E a desculpa de dizer que é dos nossos avós foi ótima =D

26 02 2009
Zar

Ok, com este post acabaste de dar um novo “ar” à frase do Antigamente é que era… x)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: