Sócrates “vende” o Magalhães

31 10 2008

(…) O primeiro-ministro, José Sócrates, fez da sua primeira intervenção na Cimeira Ibero-Americana “um momento de promoção” do computador Magalhães, presente na mesa de trabalho dos 22 Chefes de Estado e de Governo.

Durante mais de cinco minutos Sócrates apresentou o Magalhães como sendo “o primeiro grande computador ibero-americano” dizendo mesmo que é uma “espécie de Tintim: para ser usado desde os sete aos 77 anos”. (…)

(notícia completa aqui)

socrates e chavez.gif

SócratesHugo, eu não te disse que se conseguia ver qualquer site da internet?! Aquilo dos filtros para crianças, foi para calar a imprensa…

Mário LinoAhhhhh??! 😯

Hugo ChavezMuy bueno, José… 😛

SócratesO Magalhães é porreiro, pá! 😉

Mário LinoAaahhhhhhh… :mrgreen:

A Intel, a Microsoft e a JP Sá Couto devem andar todas contentes… Arranjaram um primeiro-ministro que trabalha para eles!

Mas também estará a ser bem pago por isso… É justo! 🙄

Technorati : , , , , , ,
Del.icio.us : , , , , , ,
Flickr : , , , , , ,
Zooomr : , , , , , ,

Adicionar artigo ao blinklist Adicionar ao Ueba Adicionar aos Favoritos BlogBlogs Adicionar artigo ao Del.icio.us Adicionar artigo ao Digg! Adicionar artigo ao DiHitt Adicionar artigo ao Eu Curti Adicionar artigo ao Furl Adicionar esta noticia no Linkk Envie este link para linkTo! Adicionar artigo ao Rec6 Adicionar artigo ao reddit Adicionar artigo ao Slashdot Adicionar site ao Stumble Adicionar aos Favoritos Technorati Adicionar ao Ueba Sabedorize esta noticia no WebSapiens Adicionar artigo ao Windows Live Adicionar ao Yahoo!

Quer ter estes botões no seu site? Acesse





‘Explicações’ online entre 0,75 e 17€

27 10 2008

Aprender e tirar boas notas passa cada vez mais pelas explicações, em que muitos pais deixam avultadas verbas mensais. Para além do explicador doméstico tradicional, o negócio expandiu-se para os centros de explicações e chegou agora a um mercado global: a Internet.

Os pais gastam cada vez mais em explicações para os filhos terem boas notas. Se o explicador caseiro tende a acabar, o negócio dos centros de explicações, a maioria franchisados, está em franca expansão, sendo já uma saída para professores desempregados, caso de Sandra Piedade, que encontrou uma solução no Mathnasium. O último grito é a Internet, onde não se dão propriamente explicações mas esclarecem questões. Tirar uma dúvida pode custar entre 75 cêntimos e 17 euros, consoante o grau de escolaridade do aluno e a complexidade da resposta.

“Bom dia”, diz o aluno. “Bom dia, posso ajudar?”, responde o professor. “Queria tirar uma dúvida de matemática. O que é maior: 0,3 ou 0,03?”, continua o aluno. O diálogo on-line prossegue com o acordo entre os dois de quanto custará esclarecer a questão. Assim funciona o www.tiraduvidas.eu, portal onde alunos e professores esclarecem dúvidas de todas as disciplinas e a qualquer hora. Basta que um dos mais de cinco mil docentes esteja online para responder.

A rentabilidade de custos e a disponibilidade do serviço são duas das vantagens para quem recorre a este serviço, em vez do sistema tradicional ao qual recorre cerca de metade dos alunos do secundário. Mas por que razão, tantos alunos se socorrem das explicações? Albino Almeida, presidente da Confap, não tem dúvidas: “O exame é uma roleta-russa que em duas horas pode decidir o futuro de um aluno. É natural que crie ansiedade no aluno e na própria família.”

O portal tem 2500 visitas por dia, 20 mil alunos registados e cinco mil professores. O serviço é pontual, e as dúvidas só são esclarecidas se o aluno tiver saldo na conta, carregada online. Até final do ano, Luís Pereira estima chegar a 300 mil jovens e 15 mil docentes. Em média, os que mais utilizam o serviço carregam 15 euros mensais, mas há quem lá deixe 50 euros por mês. Os mais familiarizados com o sistema chegam a colocar a questão a vários professores para comprar ao melhor preço.

Cada professor gere o tempo online consoante a sua disponibilidade, podendo até ser chamado via sms por um aluno. Hoje a professora mais requisitada recebe 70 euros mensais, mas o serviço vai disparar neste ano lectivo, acredita o mentor do projecto. Metade do preço da dúvida vai para o professor, o “que faz deste serviço um negócio para os professores, que daqui podem tirar rendimentos”, diz Luís Pereira. A qualidade do serviço é, numa primeira fase, filtrada pelo gestor do portal que avalia o curriculum do professor. Depois o “negócio” flui e resolve-se entre quem pede e fornece o serviço.

in DN Online

A tecnologia no seu melhor… 😕

O “Magalhães” começa a fazer jeito! 🙄


Technorati : , , , , ,
Del.icio.us : , , , , ,
Flickr : , , , , ,
Buzznet : , , , , ,

Adicionar artigo ao blinklist Adicionar ao Ueba Adicionar aos Favoritos BlogBlogs Adicionar artigo ao Del.icio.us Adicionar artigo ao Digg! Adicionar artigo ao DiHitt Adicionar artigo ao Eu Curti Adicionar artigo ao Furl Adicionar esta noticia no Linkk Envie este link para linkTo! Adicionar artigo ao Rec6 Adicionar artigo ao reddit Adicionar artigo ao Slashdot Adicionar site ao Stumble Adicionar aos Favoritos Technorati Adicionar ao Ueba Sabedorize esta noticia no WebSapiens Adicionar artigo ao Windows Live Adicionar ao Yahoo!

Quer ter estes botões no seu site? Acesse








%d bloggers like this: