Religião

Padre proíbe paroquianos de chorar nos enterros

Os habitantes da pacata localidade de San Luis de Sabinillas, em Málaga, Espanha, estão em pé de guerra com o pároco. Num abaixo-assinado em que pedem o seu afastamento, os populares acusam o padre de proibir chorar nos enterros sob a ameaça de não celebrar missa, colocar música natalícia nas cerimónias fúnebres, cobrar 50 euros por cada serviço religioso e impedir as mulheres de usar saias e decotes na igreja.

Paróquia de San Luis de Sabinillas

Leiam toda a história: JN

😀

Anúncios

O noivo faltou ao casamento e a noiva casou com o convidado

Cancelar o casamento seria uma humilhação para a família da noiva, pelo que a rapariga acabou por casar com um dos convidados. Na Índia.

O noivo faltou ao casamento e a noiva casou com o convidado

As notícias dizem que J. Sithiraivelu, de 35 anos, desapareceu depois de uma discussão com a família da noiva, na véspera da boda, já a festa decorria, e que não voltou a aparecer.

A família da rapariga, P. Ponradha, de 23 anos, convenceu um dos convidados, Sivakumar, que até é seu parente próximo, a ocupar o lugar do noivo, e Ponradha aceitou a troca.

O jornal Malaysia Nanban diz que no dia do casamento tudo correu como se nada se tivesse passado e que os convidados não deixaram de dar os parabéns a Sivakumar, o noivo substituto.

via TSF

😀

Advogado quer anular a condenação de Jesus Cristo

Um advogado queniano quer ilibar Jesus Cristo das condenações de que foi vítima há mais de 2000 anos. O advogado já recorreu ao Tribunal Internacional de Justiça, com sede em Haia, na Holanda.

Dola Indidis pretende com este processo censurar as ações do governo e dos líderes religiosos da época, incluindo o governador Pilatos, o rei Heródes e o imperador romano Tibério, que violaram os direitos humanos de Jesus.

De acordo com o queniano, os governos de Itália e Israel também devem ser processados, uma vez que herdaram as leis do Império Romano, segundo informa a revista Time.

«É um dever meu honrar a dignidade de Jesus. Recorri ao Tribunal Internacional para trazer a justiça ao homem de Nazaré», afirmou o advogado, citado pelo jornal queniense «Naiorobian».

in TVI24

Até posso compreender as ‘razões’ do advogado, mas como é que ele vai fazer para chamar os arguidos e testemunhas para se defenderem?! 😐

“Fim do mundo” (re)marcado para sexta-feira

Lembra-se da profecia que apontava o dia 21 de maio como a data do fim do mundo? Afinal, as contas estavam erradas e o apocalipse ficou marcado para o dia… 21 de outubro. É ja na próxima sexta-feira.

Harold Camping, líder de um movimento cristão autointitulado “Family Radio Worldwide“, explicou, na altura, o que correu mal com as suas primeiras contas, baseadas numa interpretração da Bíblia: o dia 21 de maio era, afinal, um “Dia do Julgamento” apenas “espiritual”. A destruição, essa, fica adiada para dali a cinco meses: 21 de outubro, próxima sexta-feira.

Em maio, confirmando-se que o mundo continuou na mesma, Camping desapareceu durante dois dias, para surgiu depois com esta nova data e a explicação para o erro de cálculo.

Muitos seguidores desta igreja independente chegaram mesmo a despedirem-se dos seus empregos e a desfazerem-se dos seus bens.

in Visão
O homem “ataca” de novo!! 🙂

Fim do mundo “adiado” para outubro

Como se vê, o mundo não acabou no sábado. Harold Camping, autor da profecia, admite que se enganou e avisa agora: o Dia do Julgamento vai ser, afinal, a 21 de outubro.

Harold Camping

O líder da Family Radio Internacional estava desaparecido desde sábado, depois de à hora prevista para o fim do mundo – cerca das 18h00 de dia 21 – não ter acontecido nada. Harold Camping reapareceu segunda-feira à noite para explicar que se sentiu tão mal por ver que a sua profecia não se cumpriu que procurou refúgio num motel, com a mulher. E uma das razões para Camping se sentir “terrível” será certamente o facto de ter gasto vários milhões de dólares, muitos doados por seguidores, em mais de 5 mil cartazes e veículos para anunciar o fim do mundo.

Preparados que estavam para o apocalipse, os seguidores desta igreja independente, que chegaram, em alguns casos, a despedirem-se dos seus empregos e a desfazerem-se dos seus bens, procuram agora lidar com… estar tudo na mesma. Uns queixam-se do ridículo a que foram expostos e dizem sentir-se como se tivessem levado uma bofetada no rosto.

Harold Camping explicou, então, na segunda-feira, que já compreendeu o que correu “mal”: o dia 21 de maio era, afinal, um “Dia do Julgamento” apenas “espiritual”. A destruição, essa, fica adiada para daqui a cinco meses, a 21 de outubro. No entanto, desengane-se quem pense que vai haver nova campanha de sensibilização dos fiéis para o fim do mundo – o “julgamento” foi no sábado, portanto não vale a pena continuar a avisar as pessoas, avançou.

Sobre o facto de muitos se terem desfeito de todas as suas poupanças, o líder da Family Radio esclareceu que nunca disse a ninguém o que fazer com os seus pertences. “Não estamos no ramo dos conselhos financeiros”, disse. Mas, deixa o aviso sobre o 21 de outubro, dizendo que não se desfaria de nada…

in Visão

Pois… E não aconteceu nada! Estranho… A profecia era tão credível! 😉

Ler também:

Amanhã, 21 de maio de 2011, acaba o mundo!!

Um movimento cristão norte-americano anunciou o ‘fim do mundo’ para amanhã, dia 21 de Maio, um ano e meio mais cedo do que a data ‘prevista’ pelo calendário maia: 21 de Dezembro de 2012.

Um vídeo credível sobre o assunto!

Centenas de norte-americanos ligados ao movimento cristão Family Radio Worldwide iniciaram em Janeiro uma campanha internacional para anunciar que o «fim do mundo» chega a 21 de Maio de 2011.

De acordo com a Associated Press, o grupo baseia-se na interpretação que o líder, Harold Camping, antigo engenheiro civil de 89 anos, faz de várias passagens da Bíblia e de acontecimentos da história recente. A fundação do Estado de Israel, em 1948, é um dos factos apontados por Camping para afirmar que o dia do juízo final está próximo.

«Sem margem de dúvida, 21 de Maio é a data», garante Camping, que prevê para esse dia a subida aos céus das boas almas: «As restantes pessoas vão permanecer na Terra e vão passar por um período de tormento, até ao fim dos tempos».

Nos Estados Unidos, vários cartazes a anunciar a data apareceram recentemente em cidades como Bridgeport, no Connecticut, e Little Rock, no Arcansas. O movimento, que tem percorrido o país em caravanas automóveis e propagado a teoria pela rádio e pela internet, afirma que vai estender a campanha a África e à América Latina.

A maioria dos cultos cristãos, incluíndo a Igreja Católica, defende que «só Deus conhece o dia e a hora» do juízo final, condenando qualquer previsão sobre o fim dos tempos. No entanto, a ideia de uma data concreta para o fim do mundo é universalmente popular. Em anos recentes, e sobretudo através da internet, o dia 21 de Dezembro de 2012 foi apontado como possível data, devido ao suposto término do calendário maia, que no entanto é desmentido por académicos da área.

in SOL

Meeeedo!! 😐

O mundo já “acabou” tantas vezes que mais uma ou outra vez não faz grande diferença… 😉

Ler também:

Entrevista a Deus

Se o Senhor está em toda a parte, não costuma ter agenda para entrevistas. Mas a dupla de humoristas Bruno Nogueira e João Quadros chegou à fala com Ele. E muita coisa ficou explicada…

Bruno Nogueira e João Quadros/ Produções Fictícias Ilustrações de Hélder Oliveira/ Who

image

Bruno: Olá, Deus. Esta é a nossa primeira entrevista para um jornal. Estás nervoso?
Deus:
Um bocadinho. Queria começar por agradecer o convite. Gosto muito de estar aqui. Eu estou em todo o lado, mas se fosse a escolher um lugar para assentar e constituir família era aqui – nas páginas da "Única". E parabéns pela colecção de DVD da Pantera Cor-de-Rosa, gosto muito. Eu, de certa maneira, sou o avô da Pantera, uma vez que sou o pai de toda a Humanidade, e isso inclui o já falecido Vasco Granja.

Bruno: Desculpa, mas deves estar a fazer confusão. Quem oferece os DVD da Pantera é o jornal "Público".
Deus: Eh, lá. Fiz confusão. Não ando nada bem da cabeça. Só para veres como isto anda, no outro dia pedi ao senhor Fernando Guerra de Boticas para me guardar umas caçadeiras, porque achei que ia bem com o nome dele. Depois é que me lembrei que era padre.

Bruno: Tu estás com que idade?
Deus: Faz tu as contas, que eu hoje já estive a fazer um terramoto na Ásia…

Bruno: Ora, o Big Bang foi há 13,7 mil milhões de anos…
Deus: Por acaso foi há mais.

Bruno: O Big Bang não foi há 13 mil milhões de anos?
Deus: Não. O Big Bang está é muito bem conservado. Ninguém lhe dá mais de 13 mil milhões de anos, mas na realidade ele já fez 28 mil milhões. O Big Bang foi há 28 mil milhões de anos, lembro-me como se fosse hoje: era Dezembro, e estava um calor anormal para a altura; eu tinha 7 anos, e os meus pais tinham ido viajar, e como éramos muitos irmãos esqueceram-se de mim e fiquei uma semana sozinho em casa.

 

Bruno: Acho que já fizeram um filme sobre isso que dá todos os anos à mesma hora na televisão. Vendo bem, se calhar não é um filme, é uma religião…
Deus: Não vi. Não vejo filmes desde a estreia da "Saída dos Operários da Fábrica" em 3D. Retomando. Fiquei sozinho em casa e, claro, como qualquer criança, quis logo ir imitar o que o meu pai fazia. Tinha duas hipóteses: usar o estojo de química que estava no laboratório ou vestir-me com as roupas da minha mãe. Optei pela primeira, porque a minha mãe tinha levado o estojo de pinturas. E foi assim que nasceu o Universo.

Bruno: Portanto, a criação do Universo foi uma brincadeira de crianças.
Deus: Podemos dizer que a Criação se deveu à minha má criação. E, ao sétimo dia, eu não descansei – os meus pais é que chegaram a casa e acabaram com a brincadeira. E, quando viram que eu tinha feito um Universo, mandaram-me para o colégio interno. Pagavam uma fortuna em propinas, porque, entretanto, desenvolvi a capacidade de estar em todo o lado e estava em 78 colégios internos ao mesmo tempo.

Bruno: Resumindo, estás com a idade do Big Bang mais sete. Ou seja, 28 mil milhões de anos e picos. Isso leva-me à próxima questão: o Charles Chaplin foi pai aos oitenta e poucos, mas tu abusaste e tiveste o teu primeiro filho já com uma idade muito avançada. Como é que foi isso? Apaixonaste-te?
Deus: Olha, Bruno, eu já tinha comprado o Porsche descapotável, mas não me sentia mais novo e atraente. Achei que talvez um filho de uma mulher muito mais nova resolvesse a questão.

Bruno: Mas a mulher era casada…
Deus: Isso é irrelevante. Eu não acredito no casamento entre pessoas de sexo diferente. As pessoas do mesmo sexo entendem-se muito melhor, e isso é essencial para se ser feliz. A felicidade total nunca é mista.

Bruno: Não me digas que o Paraíso não é misto, que me dá uma coisinha má. Ando eu a trabalhar para evitar o bronze do Inferno e, afinal, o Paraíso é um colégio militar com nuvens à volta.
Deus: Bruno, vê lá se começas a apontar o que eu te digo, porque um dia destes eu revelo-te os números do Euromilhões e o sentido da vida e esqueces-te.

Bruno: Troco o sentido da vida por ser o único totalista dessa semana em que vou ganhar o Euromilhões. Não me digas já os números, porque há leitores da "Única" que também jogam.
Deus: Eu já te disse uma vez que o Paraíso não existe. Já houve, mas já acabou. O Paraíso não tem nada a ver com o Universo e com o Homem. O Paraíso foi uma coisa que eu fiz nas traseiras lá de casa. A ideia era ser uma coisa pequena, com pouca gente, que fosse uma alternativa ao Algarve. Daí o nome – "Paraíso Lagoa Beach". Depois tive de expulsar os caseiros, porque tinham uma cobra e andavam com tochas e a cuspir fogo… Eram saltimbancos, nómadas, e estavam a dar cabo daquilo. Acabei por desistir da ideia e fiz um jacuzi.

Bruno: Mas existe o julgamento final e essas coisas tenebrosas?
Deus: O Apocalipse é um mito. Eu explico. Tens um "Magalhães"?

Bruno: Não. Já tive, mas troquei-o por uma máquina para batidos de caça.
Deus: Adiante. Como tu sabes, eu controlo o tempo…

Bruno: Sim. E…?
Deus: Não deste por nada, pois não? Já passaram dois dias desde que fizeste a pergunta: "Mas existe o julgamento final e essas coisas tenebrosas?"

Bruno: Não acredito?!
Deus: Olha lá para a tua barba…

Bruno: Elá! Espectacular. Pareceram uns segundos. Muito bom. Também sabes fazer truques com cartas?
Deus: Bruno, o Apocalipse é um mito porque eu controlo o tempo. Controlar o tempo é uma boa sensação, especialmente quando deixo cair um prato ou um copo no chão da cozinha. Sabes aquele momento em que uma pessoa normal franze os olhos, porque já não consegue agarrar o prato e ele vai partir-se em pedaços? Eu, nesse momento, ponho o tempo a andar para trás e vejo os cacos a juntarem-se e o prato volta à minha mão… Percebeste a imagem?

Bruno: Mas Deus não tem vassouras?
Deus: Tenho uma da loja do chinês que se carregarmos no on também é uma iogurteira. Mas dizia-te: eu nunca deixarei que o Apocalipse aconteça. Ponho a andar para trás e faço de novo. Vocês são os meus Legos preferidos, nunca vos deixaria arder… muito.

Bruno: Então, aquela parte da Bíblia, Apocalipse 21 ou 22, confundo-os sempre, que diz, e passo a citar: "Quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte."
Deus:
Isso é tudo inventado. O João tinha uma imaginação espectacular. Foi o primeiro a aventurar-se na escrita de ficção científica.

Bruno: Óptimo. Não era nada justo meter no mesmo saco os homicidas e os tímidos – corar não é o mesmo que esfaquear.
Deus:
A lista é parva e dá a sensação que foi sendo inventada à medida que foram escrevendo. Se tivessem mais tempo, a seguir era: "Os limpa-chaminés e os profissionais de seguros." image

Bruno: Mas… isto é a Bíblia.
Deus: A Bíblia lê-se bem, mas é pouco abrangente. Prefiro o Mahabharata, e passo a citar: "O que for encontrado aqui, pode ser encontrado em qualquer outro lugar. Mas o que não for encontrado aqui, jamais será encontrado em outro lugar." É ou não é bom?

Bruno: Não é muito, não.
Deus:
Hum… Então vou andando, porque deixei Lanzarote ao lume.

Bruno: Antes de terminarmos, foste tu que escolheste os leitores desta entrevista?
Deus:
Fui. Para depois não dizerem que não tenho sentido de humor.

Bruno: Pronto, está feito. Depois deixa um recibo verde onde entenderes. Deus: Posso, antes de ir temperar planetas, anunciar o segundo livro de crónicas do "Tubo de Ensaio", que sai no Natal?

Bruno: É melhor não. Parece publicidade descarada que entra um bocadinho a martelo.
Deus: Tens razão.

Bruno: Um abraço.
Deus: Adeus.                                                                                                Adeus.

Bruno: Porque é que disseste "adeus" duas vezes, uma em cada ponta da página?
Deus: É um adeus especial para leitores estrábicos…

Bruno: Não vou comentar, vou só deixar duas perguntas em branco para mostrar algum desconforto.

Bruno:

Bruno:

(Texto publicado na Revista Única da edição do Expresso de 28 de Novembro de 2009)

Ler também: